Pages

Ads 468x60px

Labels

30 março, 2007

Palavras

Querer viver
poder correr
bater
ser e merecer
morrer.
Dizer e crer
saber fazer
ceder
acontecer e perder
aborrecer.
Fazer ter
valer amanhecer
comer
viver e querer
desaparecer.
Resplandecer.

A televisão


Texto de um aluno do ensino médio sobre a televisão em nossa vida:

"Quer um início de violência maior que entra em nossas casas, todos os dias através da televisão? As novelas, que são uma verdadeira pornografia onde, não se preocupa com o que vai assistir, se são crianças ou adultos, que se preocupa é com o ibope, pois, para isso, as novelas é uma verdadeira escola de sexo, para as crianças que ficam o dia inteiro em frente à televisão, não tem nada que elas possam aprender, pois, tendo como filmes violentos, guerras, mortes, destruição, para elas isso passa a fazer parte da vida delas, acham isso normal, pois quanto mais violento o filme for, mais elas gostam. Já crescem violentos, liberais.
Sendo que a televisão incentiva cada dia mais a presença dessas crianças. Ao invéz de ir ao parque, de brincar com outras crianças brincadeiras sadias como as que tinham antigamente, não; preferem passar o dia todo em frente a televisão, sem aprender o esencial, para sua idade, pois cultura nem pensar, mais com certeza violência e sexo aprenderam."

Atividade proposta: identificar as principais idéias do autor e reescrever o texto, articulando corretamente o seu conteúdo de modo que as idéias sejam expostas de maneira coerente e articulada. Caso necessário, informações adicionais podem ser adicionadas à redação.

Minha redação proposta (por favor, não copie sem dar os devidos créditos):

A televisão

"Guerras, morte, destruição e forte apelo sexual têm sido uma constante na grade da TV brasileira. Contudo, nem só de coisas negativas vive o telespectador deste importante meio de comunicação, já que algumas boas idéias ainda podem ser vistas na hora de informar e entreter o cidadão.
As novelas, nacionais ou internacionais, insistem na repetição demasiada de cenas consideradas impróprias para certas idades. Há uma banalização da violência e do sexo, como se estes temas estivessem ‘alavancando’ a audiência. Também nos filmes e desenhos animados, considerados infantis, pode-se verificar a pouca ou nenhuma preocupação das redes em ‘tematizar’ as mazelas sociais.

Há de se considerar que este tipo de programação que prioriza os aspectos negativos da vida tem prejudicado a formação dos jovens. A televisão tem funcionado como uma ‘babá eletrônica’, ocupando o tempo do diálogo familiar, brincadeiras sadias, àquelas que contribuem com a amizade, com a coletividade, as escolhas dos líderes e a aceitação desses.

Ainda que a maior parcela dos programas não sejam valorosos, pode-se perceber em algumas emissoras a tentativa de manter as fontes de informação, educação e entretenimento útil, ainda que em horários que não permitam alcançar o público alvo.

Sabe-se que há programação voltada à violência, apelo sexual e valores deturpados, mas que também existem emissoras sérias preocupadas com a ética, a informação de qualidade e verídica, que realmente importa para a formação dos jovens. Cabe a cada um, donos do controle remoto, escolher a que tipo de programação quer assistir, quais horários e programas seus filhos podem ver. São eles os interessados e quem pode promover a mudança na grade horária das redes de televisão, pois, programa sem audiência não fica no ar."



29 março, 2007

Chama

Se fiquei esperando meu amor passar

Se fiquei esperando meu amor passar
Já me basta que então, eu não sabia
amar.
E me via perdido e vivendo em erro
Sem querer me machucar de novo
Por culpa do amor
Mas, você e eu podemos namorar
E era simples: ficamos fortes.
Quando se aprende a amar
O mundo passa a ser seu
Quando se aprende a amar
O mundo passa a ser seu
Sei rimar romã com travesseiro
Quero a minha nação soberana
Com espaço nobreza e descanso.

Se fiquei esperando meu amor passar
Já me basta que estava então longe de sereno
E fiquei tanto tempo duvidando de mim
Por fazer amor fazer sentido.
Começo a ficar livre
Espero. Acho que sim.
De olhos fechados não me vejo
E você sorriu pra mim.

"Cordeiro de Deus que tirai os pecados do mundo
Tende piedade de nós
Cordeiro de Deus que tirai os pecados do mundo
Tende piedade de nós
Cordeiro de Deus que tirai os pecados do mundo
Dai-nos a paz..."

A montanha mágica

Esta letra tem tudo a ver com o que estou sentindo neste momento, nestes dias que se seguiram.

Sou meu próprio líder: ando em círculos
Me equilibro entre dias e noites
Minha vida toda espera algo de mim
Meio-sorriso, meia-lua, toda tarde

Minha papoula da Índia
Minha flor da Tailândia
És o que tenho de suave
E me fazes tão mal!!

Ficou logo o que tinha ido embora
Estou só um pouco cansado,
Não sei se isto termina logo
Meu joelho dói
E não há nada a fazer agora

Para que servem os anjos?
A felicidade mora aqui comigo
Até segunda ordem
Um outro agora vive minha vida
Sei o que ele sonha, pensa e sente
Não é por incidência a minha indiferença
Sou uma cópia do que faço
O que temos é o que nos resta
E estamos querendo demais

Minha papoula da Índia
Minha flor da Tailândia
És o que tenho de suave
E me fazes tão mal!!

Existe um descontrole, que corrompe e cresce
Pode até ser, mais estou pronto prá mais uma
O que é que desvirtua e ensina?
O que fizemos de nossas próprias vidas??

O mecanismo da amizade,
A matemática dos amantes
Agora só artesanato:
O resto são escombros!

Mas, é claro que não vamos lhe fazer mal,
Nem é por isso que estamos aqui
Cada criança com seu próprio canivete
Cada líder com seu próprio 38

Minha papoula da Índia
Minha flor da Tailândia

Chega, vou mudar a minha vida!
Deixa o copo encher até a borda
Que eu quero um dia de sol
E um copo d'água.

28 março, 2007

Passerà


Aleandro Baldi/Bigazzi/M. Falagiani


Le canzoni non si scrivono
Mas nascono da sé
Son le cose che succedono
Ogni giorno intorno a noi
Le canzoni basta coglierle
Ce n'è una anche per te
Che fai più fatica a vivere
E non sorridi mai
Le canzoni sono zingare
E rubano poesie
Sono iganni come pilole
Della felicità
Le canzoni Non guariscono
Amori e malattie
Ma quel piccolo dolore
Che l'esistere ci dà
Passerà, passerà
Se un ragazzo e una chitarra sono li
Come te, in città
A guardade questa vita che non va
Che ci ammazza d'illisioni
E con l'età delle canzoni
Passerà su di noi
Finiremo tutti in banca prima o poi
Coi perchè, i chissà
E le angoscie di una ricca povertà
A parlare degli amori che non hai
A cantare una canzoni che sai come fa
Perchè l'hai perduta dentro
E ti ricordi solamente
Passerà
In un mondo di automobili
E di gran velocità
E per chi arriva sempre ultimo
E per chi dice addio
Per chi sbatte negli ostacoli
Della diversità
Le canzoli sono lucciole
Che cantano nel buio
Passerà primo poi
Questo piccolo dolore che c'è in te
Che c'è in me, che c'è in noi
E ci fa sentire come marinai
In balia del vento e della nostalgia
A cantare una canzone che no sai
Come fa
Ma quel piccolo dolore che sia odio, o che sia amore
Passerà
Passerà, passerà
Anche se farai
Soltanto la la la
Passerà, passerà
E a qualcosa una canzone servirà
Se il tuo piccolo dolore
Che sia odio, o che sia amore
Passerà

Compreensão

Será que um dia compreenderemos realmente tudo o que nos cerca? Tantas pessoas, tantos lugares, diferentes sentimentos, tantas 'coisas'. Estamos imersos num mar de diversidade sem fim e a sensação corrente é de que não conseguiremos sobreviver ao naufrágio; a água gelada que aproxima e afasta tudo enrijece nossos músculos, temos vontade de chorar. Então ficamos duros, ficamos distantes demais de qualquer compreensão.

Onde estão nossos portos-seguros? O salva-vidas tirou um cochilo e os anjos, tão alvos, caminham sobre a linha do horizonte traçando um rastro vermelho pelo ar. Quando tudo parece perdido, quando a esperança não nos olha como a um terno amigo, tudo parece ter acabado; a solidão então oferece abrigo em meio ao caos existencialista.

Respondemos com um olhar desolado.

27 março, 2007

PARABÉNS, RENATO!!





27 de março, data em que Renato Manfredini Jr. (Russo) faria 47 anos de idade. Nascido No Rio de Janeiro, em uma família de classe média, foi professor de inglês, tendo aprendido o idioma quando morou em Nova Iorque dos 7 aos 10 anos. Aos 13, mudou-se para Brasília. Dos quinze aos dezessete, conviveu com uma rara doença óssea, a epifisiólise, que o manteve preso à cama e à cadeira de rodas. Nessa época, lia bastante e ouvia muita música, sonhando em montar uma banda quando estivesse recuperado. Foi em 78 que, levado pelo movimento punk em Brasília, formou sua primeira banda (banda real, pois havia a 42° street band), o Aborto Elétrico.

Brasília descobria, ali, um gênio da música.

Alguns poucos anos se passaram e o Aborto Elétrico foi desfeito, restando a persona 'Trovador Solitário', que se apresentava nos bares da capital nacional com um banquinho e violão. Nasceram grandes sucessos, como Faroeste Caboclo, Eduardo e Mônica, Boomerang Blues (gravada depois pelo Barão vermelho).

Pouco tempo depois surgia a (no feminino, como Renato sempre frisava 'não é O Legião, é A Legião, sacou?') Legião Urbana, tendo como formação inicial Renato, Marcelo Bonfá, Eduardo Paraná e Paulo Paulista. Um ano depois, Paraná e Paulista deixavam a banda e entrava Dado Villa-Lobos enquanto que Renato Rocha só entraria na banda em 84.

Renato, o menino calado, inteligente, sensível, conquistou multidões com versos como 'Eu sei - é tudo sem sentido. Quero ter alguém com quem conversar; alguém que depois não use o que eu disse contra mim.' ou 'Somos o futuro da nação: Geração Coca-Cola.'. Sem esquecer o inesquecível 'É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã, por que se você parar, pra pensar na verdade não há.'

Em 1996, Renato conseguiu o que queria: a morte. Cansado de lutar contra coisas que ele tinha consciência, eram mais fortes que tudo, desistiu de viver. Escolheu morrer sozinho em seu apartamento no RJ, numa triste manhã de outubro. As causas da sua morte foram diagnosticadas como septicemia, broncopneumopatia e infecção urinária, decorrentes da baixa imunidade causada pelo vírus HIV. Na ocasião da sua morte, Renato Russo pesava poucos 45 quilos...

Hoje Renato completaria 47 anos de idade! Uma salva de palmas e todas as homanagens a este que, sem dúvidas, ficará guardado nas nossas lembranças para todo o sempre.

Os anjos

Hoje não dá

Não sei mais o que dizer

E nem o que pensar

Hoje não dá

A maldade humana agora não tem nome

Hoje não dá

Pegue duas medidas de estupidez

Junte trinta e quatro partes de mentira

Coloque tudo numa forma

Untada previamente

Com promessas não cumpridas

Adicione a seguir o ódio e a inveja

As dez colheres cheias de burrice

Mexa tudo e misture bem

E não se esqueça: antes de levar ao forno

Temperar com essência de espírito de porco,

Duas xícaras de indiferença

E um tablete e meio de preguiça

Hoje não dá

Está um dia tão bonito lá fora;

E eu quero brincar

Mas hoje não dá

Hoje não dá

Vou consertar a minha asa quebrada

E descansar

Gostaria de não saber destes crimes atrozes

É todo dia agora e o que vamos fazer?

Quero voar p'ra bem longe mas hoje não dá

Não sei o que pensar e nem o que dizer

Só nos sobrou do amor

A falta que ficou.

Goodbye blue sky


Ten thousand years ago in mesopotamian
A new type of thinking was developed

What that involved

Totalitarian agriculture

And now...

Goodbye blue sky
Goodbye blue sky
Goodbye

We fall in the sleep as peoples as animals on this planet

goodbye blue sky...


We are here to natural our planet

goodbye blue sky...


We are here to help quarters this fuck’n place not destroying
. For god's sake!!!

I am sick and tired of unequal globalisers!!!

I am sick and tired of fashion!!!
I am sick and tired of this type of people!!!


Há 10 mil anos na mesopotamia,
Um novo tipo de pensamento foi desenvolvido.
Um que envolvia
uma agricultura totalitária,
e agora...

Adeus céu azul
Adeus céu azul
Adeus

Nós caímos no sono, como pessoas e como animais nesse planeta.
Adeus céu azul

Nós estamos aqui para ajudar esse planeta
Adeus céu azul

E não destruí-lo pelo amor de deus!!

Eu estou enjoado e cansado da globalização desigual!!!
Eu estou enjoado e cansado de fascismo!!!
Eu estou enjoado e cansado desse tipo de gente!!!

26 março, 2007

Perseguição





Cansado da mesma programação 'excelente' da TV brasileira, alcancei meus cigarros, um casaco e saí. Era por volta das 22 horas e tudo o que eu queria era caminhar, pensar sobre alguns rumos a tomar na vida, sobre os rumos já tomados, o namoro que evolui -depois de um período turbulento- carinhosamente. Chamei o elevador, aguardei um pouco, desci. Saudações ao porteiro do prédio, estou na rua! Para onde ir? Não sei, caminharei sem rumo.

Esta pergunta e resposta já me são velhas conhecidas.

Como nem tudo são flores na vida de um fumante, e já dizia a lenda que 'por mais calmo que esteja o tempo, ao colocar um cigarro em sua boca e riscar o palito de fósforo, chegará a ventania!', desta vez não foi exceção... Depois de uma batalha desleal do homem contra a natureza e sua ação devastadora dos ventos, acendi meu cigarro e comecei a caminhar. Percebi que tudo estava vazio, não haviam carros nas ruas, sequer estacionados. 'Estou numa cidade fantasma?' pensei, e continuei caminhando em direção a uma rua escura, ao lado do prédio onde resido. Havia um silêncio quase sagrado na rua, quebrado apenas pela sinfonia do vento que, agora, soprava um pouco mais forte. Lembrei que, em uma cidade em que todos dormem cedo, havia um mercado aberto 24 horas para tomar uma água, quem sabe beliscar alguma coisinha; retirei a carteira do bolso e, à medida que a escuridão cobria-me como um véu negro, contabilizei umas moedas ralas, mas suficientes para aquele momento. Se estivesse com um tênis apropriado, iria até a casa de Sheila, a mulher que faz tudo parecer um dia de primavera, para dar-lhe um beijo adocicado, dizer-lhe o quanto é importante para mim. Mas não estava, e tive que contentar-me apenas com sua lembrança viva na memória. Até meu celular falhou no momento em que eu precisava dele; estava sem carga, era peso desnecessário para a caminhada.

Chegando à avenida principal da cidade avistei carros, mas não muitos, nem poucos; o que eu não avistava eram pessoas que, assim como eu, caminhavam na noite apenas por andar. Continuei a caminhar quando, de repente, um carro preto estaciona metros adiante de mim, voltando em seguida ao meu encontro. Imaginei ser alguém perdido nesta cidade deserta precisando de informações; apaguei meu cigarro e fui de encontro com o carro preto.

Os vidros escuros não mostravam quem estava na direção, sequer um centímetro do interior do veículo. A janela do passageiro desceu e notei um homem grisalho com óculos pendurado na cabeça; ele olhou para meus olhos, disse que estava à procura de diversão: parecia estar bêbado, pela entonação de suas palavras. Extremamente bravo com o que havia escutado, virei-me para continuar andando quando, numa fração de segundo, um estouro fino e ensurdecedor ecoou no ar enquanto um pequeno projétil lançava-se no espaço, ao encontro das minhas costas. Encontrou meu braço direito antes da minha boca soltar um urro de dor, medo, desentendimento diante dos fatos. E assim se seguiram os outros 3 tiros disparados por aquele homem grisalho do carro preto, só que agora eu estava caído e o carro, arrancando, indo embora tendo uma trágica participação em minha vida. Ninguém poderia conceber um momento desses.

Com o susto, acordei ensopado de suor, tomado por uma agonia sem explicação. Ao meu lado, não um carro preto nem tampouco uma rua escura onde o único barulho que se ouvia era o do vento, mas uma mulher, envolta por uma fina coberta e parcialmente iluminada pela claridade que passava pelas cortinas. Aproximei-me dela e afaguei seus cabelos.

Casulo

Casulo: Sheila Campos (minha namorada), Anna Karla e Jeffrey decidem criar um curta, para participar do Festival do Minuto. Projetado e idealizado, como Sheila Campos descreve, na raça, é uma mídia que vale muito à pena conferir, tirar suas próprias conclusões, se emocionar.

23 março, 2007

Câncer - 23/03/07

O habito puxa você para um lado, a vontade de saber mais e de expandir seu raio de ação, para outro. Daí sobrevem a oscilação emocional, que torna tudo mais difícil justo hoje, um dia em que os conflitos surdos se tornam estridentes. Cuidado com acidentes. Não faça dividas e nem prometa demais.

22 março, 2007

Acreditar em mim




Quero acreditar em mim, acreditar que posso tudo o que quero. Quero sorrir nas noites solitárias sem me perguntar o motivo, olhar para os olhos na rua sem pudor, abrir meus braços e aceitar a vida -e as pessoas- como ela é. Aceitar que as coisas nem sempre são como poderiam ser, aceitar que meu sofrimento com tudo é simples capricho da contemporaneidade.
Quero acreditar em mim, nos passos trôpegos que trilho por entre arbustos baixos e cortantes. Acreditar que depois daquela colina haverá um lindo vale com lagos de águas cristalinas onde crianças brincam aos montes. Aprender com as árvores mortas, varrer as folhas secas dispersas pelo caminho sem me incomodar com o vento imundo que teima em brincar comigo. Aproveitar cada raio de sol e dar boa noite à lua.
Quero acreditar em mim, sobretudo no olhar vago diante do espelho pedindo amparo em desespero. Encontrar a caixa aberta de onde flui tanta mágoa e rancor. Encontrar a chave das portas que, mesmo que'u tente, não consigo abrir, não me permitem abrir.
E qual motivo?
Quero acreditar em mim, amar a pessoa que está dentro desta ridícula carcaça de músculos e ossos, mas é tão difícil...

19 março, 2007

19/03/2007

CÂNCER

Júpiter trigono Saturno é o antídoto contra tendência derrotista, por não aceitar seus defeitos, limitações e fraquezas. Com esse par de poderosos a seu favor, seu poder de realização supera em qualidade o que trava seu gesto. Eclipse de ontem ainda reverbera, cuide da alimentação e da saúde.


VIRGEM

Nervosismo e intranqüilidade hoje contribuem para dispersão e impulsividade nas reações com o mundo e as pessoas. Um parceiro pode criar problemas. Respire fundo e aguarde uns dias. Desista de conclusões definitivas - o astral destes dias impele a mais duvidas do que certezas.

Andrea Doria

Às vezes parecia que, de tanto acreditar
Em tudo que achávamos tão certo,
Teríamos o mundo inteiro e até um pouco mais:
Faríamos floresta do deserto
E diamantes de pedaços de vidro.
Mas percebo agora
Que o teu sorriso
Vem diferente,
Quase parecendo te ferir.
Não queria te ver assim -
Quero a tua força como era antes.
O que tens é só teu
E de nada vale fugir
E não sentir mais nada.
Às vezes parecia que era só improvisar
E o mundo então seria um livro aberto,
Até chegar o dia em que tentamos ter demais,
Vendendo fácil o que não tinha preço.
Eu sei - é tudo sem sentido.
Quero ter alguém com quem conversar,
Alguém que depois não use o que eu disse
Contra mim.
Nada mais vai me ferir.
É que eu já me acostumei
Com a estrada errada que eu segui
E com a minha própria lei.
Tenho o que ficou
E tenho sorte até demais,
como sei que tens também...

18 março, 2007

Só por hoje - Renato Russo




Só por hoje eu não quero mais chorar
Só por hoje eu espero conseguir
Aceitar o que passou o que virá
Só por hoje vou me lembrar que sou feliz

Hoje já sei que sou tudo que preciso ser
Não preciso me desculpar e nem te convencer
O mundo é radical
Não sei onde estou indo
Só sei que não estou perdido
Aprendi a viver um dia de cada vez

Só por hoje eu não vou me machucar
Só por hoje eu não quero me esquecer
Que há algumas pouco vinte quatro horas
Quase joguei a minha vida inteira fora

Não não não não
Viver é uma dádiva fatal!
No fim das contas ninguém sai vivo daqui mas -
Vamos com calma !

Só por hoje eu não quero mais chorar
Só por hoje eu não vou me destruir
Posso até ficar triste se eu quiser
É só por hoje, ao menos isso eu aprendi

Suite-pee

I had an out of body experience,
The other day,
Her name was jesus,
And for her everyone cried,
Everyone cried,
Everyone cried.

Try her philosophy!
Try her philosophy!
Try her philosophy!
Try!

You'll die for her philosophy!
Die for her philosophy!
Die you philosphy die...

Crossed and terrored ravages of architecture,
Lend me thy blades,
We're crossed and terrored ravages of architecture,
Hoist around the spade.

Try her philosophy!
Try her philosophy!
Try her philosophy!
Try!

You'll die for her philosophy!
Die for her philosophy!
Die you philosphy die!

Die..die...die...why...lie naked on the
Floor and let the messiah go through our souls,
Lie naked on the floor and let the messiah go all
Through our souls, die,
Like a mother fucker! die!!
Like a mother fucker! die!!
Like a mother fucker! why?!?!?!?!
Like a mother fucker!!!!!!!
I want to fuck my way to the garden!
Cause everyone needs a mother... FUCKER!

The following of a christ,
The following of a christ,
The following of a christ,
The following of a christ,
The falling of christ,
The falling of christ,
The falling of christ,
The falling of christ.


Eu tive uma experiência fora do corpo outro dia
o nome dela era jesus
e por ela todos choraram
todos choraram
todos choraram

Prove a filosofia dela!
Prove a filosofia dela!
Prove a filosofia dela!
Prove!

Você morreu pela filosofia dela!
Morreu pela filosofia dela!
Morra a filosofia dela morra!

Cruzadas e assustadas devastações de arquitetura,
empreste-me tuas lâminas.
Nós somos cruzadas e assustadas devastações de arquitetura,
empunhe por aí a espada.

Prove a filosofia dela!
Prove a filosofia dela!
Prove a filosofia dela!
Prove!

Você vai morrer pela filosofia dela!
Morra pela filosofia dela!
Morra filosofia dela morra!

Morra....morra.....morra...porque...
deitemo-nos nús no
chão e deixemos-nos ao messias atravessar-nos a alma.
Deitemo-nos nús no chão e deixemos-nos ao messias atravessar-nos
totalmente nossas almas.
Morra!!!!
como um filho de uma puta, morra!
como um filho de uma puta, morra!
como um filho de uma puta, porque???
como um filha de uma puta!!!!!!
Eu quero foder do meu jeito o caminho para o jardim!!!
porque todos precisam de um filho de uma... puta!!!

O seguimento de cristo,
O seguimento de cristo,
O seguimento de cristo,
O seguimento de cristo,
A queda de cristo,
A queda de cristo,
A queda de cristo,
A queda de cristo!!!

L'Avventura - A Tempestade ou O Livro dos Dias

Composição: Dado Villa-Lobos, Renato Russo e Marcelo Bonfá

Quando não há compaixão
Ou mesmo um gesto de ajuda
O que pensar da vida
E daqueles que sabemos que amamos ?

Quem pensa por si mesmo é livre
E ser livre é coisa muito séria
Não se pode fechar os olhos
Não se pode olhar pra trás
Sem se aprender alguma coisa pro futuro

Corri pro esconderijo
Olhei pela janela
O sol é um só
Mas quem sabe são duas manhãs

Não precisa vir
Se não for pra ficar
Pelo menos uma noite
E três semanas

Nada é fácil
Nada é certo
Não façamos do amor
Algo desonesto

Quero ser prudente
E sempre ser correto
Quero ser constante
E sempre tentar ser sincero

E queremos fugir
Mas ficamos sempre sem saber

Seu olhar
Não conta mais histórias
Não brota o fruto e nem a flor

E nem o céu é belo e prateado
E o que eu era eu não sou mais
E não tenho nada pra lembrar

Triste coisa é querer bem
A quem não sabe perdoar
Acho que sempre lhe amarei
Só que não lhe quero mais

Não é desejo, nem é saudade
Sinceramente, nem é verdade

Eu sei porque você fugiu
Mas não consigo entender
Eu sei porque você fugiu
Mas não consigo entender

16 março, 2007

169,7542 libras - Retornando aos 75

Não, não estou falando da década de 70, tampouco 75 anos.
Lembro-me de quando, depois dos 3 meses ao relento, ingressei na Casa-Lar com míseros 50 quilos e 165 centímetros de altura. Consideremos que neste meio tempo -3 meses ao relento e 'Casa-Lar'- houve um mês no abrigo Provopar, mas neste tempo não consegui adquirir 'massa'.

"Também, passava dias só no café preto e pãezinhos -deliciosos- de soja. Ah, e cigarros, muitos cigarros (vez ou outra a maconha, mas em doses homeopáticas)."

Foram quatro anos na 'Casa' e muita coisa mudou: Cheguei a conviver com mais 15 pessoas sob o mesmo teto, inclusive crianças recém-nascidas. Eu era o mais velho, só havia mais um moreno beiçudo que fazia primaveras meses depois de mim. Comecei a fazer Caratê-Do (caminho das mãos vazias) e adquiri espantosa agilidade, elasticidade -que se perdeu com o tempo, infelizmente- e destreza; também trabalhei em uma estufa onde plantávamos a vida no mais amplo leque de espécies de flores. Uma mais linda que a outra.

"Amo a natureza!"

Comecei a trabalhar como office-boy de uma empresa sanguessuga, digo, alimentícia e foi nela que tive o orgulho de olhar no espelho e, pela primeira vez na vida, sorrir por estar trabalhando, estar ganhando meu dinheiro. Depois deste serviço, passei à arquivista do setor RH, onde passava horas aguentando a chata do recursos humanos colocando defeito até mesmo onde não haviam gêneros para ela cismar. Depois de árdua discussão por telefone com a gentil mulher, fui demitido (!). Sob a realidade de enfrentar a justiça, por problemas que devem ser omitidos neste post, me readmitiram um mês depois. Então fiquei encarregado do setor almoxarifado da empresa... desde uma simples caneta BIC até um ribom de cera, era responsabilidade minha:
  • verificar estoque;
  • solicitar compra à matriz da empresa, na capital do estado;
  • realizar 'triagens' de preço;
  • efetuar a compra do produto;
  • receber o produto na empresa, verificando todo e qualquer detalhe da mercadoria;
  • armazenar e zelar dos produtos em estoque;
  • lançar as notas fiscais no sistema;
  • encaminhar notas fiscais para a matriz;
  • verificar estoque...
Num circulo vicioso interminável...
Pois bem, como eu era responsável por alocar as mercadorias no estoque -mercadorias tipo '7 toneladas de açúcar', por exemplo- fui ganhando a dita cuja da massa corporal. Nestas 'indas' e vindas eu já havia crescido um pouco, já não me apresentava tão esquelético como outrora.
Tive meu primeiro namoro, fui do céu ao inferno tão facilmente que, além do habitual, comecei a ser extremamente negligente comigo mesmo!
E a famosa barriga apareceu (não, eu não engravidei ¬¬). E a postura foi se mostrando mais e mais arcada, errônea!
Então, às vésperas (não tãão vésperas assim...) de completar a maioridade, sonho de todo rapaz -que depois de uns tempos vira real pesadelo- vim residir em Brasília, mais especificamente não em Brasília (?), mas em Taguatinga.

"Ah, Taguatinga... suas ruas sujas, movimentadas, barulhentas, lar de mendigos -como fui um dia- e ofício dos informais, das 'moças bondosas' da famosa 'rua da alegria' e das 'bonecas', mais na parte sul da cidade..."

Com a pressão da escola, a repetição de ano -pela 3ª vez consecutiva- devida à falta de ambientação com os métodos de ensino propostos aqui, surtos de solidão, desespero, agonia, ódio: engordei!
E, então, cheguei ao cume de onde nunca tinha alcançado planícies tão distantes com os olhos: 85 quilos. 86 quilos. 87 quilos. No auge da morbidez, resolvi sair da passividade e me cuidar, de uma forma ou de outra!!
Entrou então a famosa 'dieta do Dr. Joseph Mengele (legista de Auschwitisz)': alimentar-se mal, ou nada, e trabalhar feito um louco!
Emagrecí 4 quilos em 1 semana e meia, das duas que passei só à água (cigarros e insônia) e nada mais. Então conseguí, aos poucos, me restabelecer, retornar ao peso que julgo ideal para mim, hoje com 174 centímetros: 75 quilos.

Pois bem que hoje pela manhã, depois de resolver pormenores em Taguatinga, deixei-me seduzir pelos encantos de uma balança de farmácia; fui em 3 só para garantir o que meus olhos viam no visor digital do aparelho: 77 quilos!!!!!!

"Faltam só dois quilos para encontrar meu 'chão'!!!"

A 'dieta Mengele' está moderada, mas ainda está me ajudando a perder a indesejável adiposidade que tanto incomoda nas tarefas mais cotidianas imagináveis. Não cheguei ao ponto de não conseguir cruzar as pernas, mas estive caminhando para tal.
Hoje me sinto melhor. Bem melhor, retornando aos 75.

15 março, 2007

'Vade Mecum'

Atravessaria desertos de grandeza inigualável
para trazer-lhe a flor de mais agradável perfume.
Oceanos, aos meus olhos, seriam pequenos lagos de água cristalina
se eu tivesse que transpor cada mínima gota salgada
para encontrar o calor dos seus braços.
Não haveria exército no mundo capaz de me impedir na busca
pelo esplendor do seu sorriso; nem mesmo as mortais 'gladus' intimidariam meu coração: teria meu sangue em terra se preciso.

(...)

Marcos

Você caminha pelas ruas buscando novos amores, sabores diferentes da mesma maçã para saciar seu paladar; mas, ao fim do dia, se sente tão vazio que tem vontade de chorar. Não consegue encontrar abrigo nas velhas canções que outrora agitaram sua vida. Parece que sua busca pela felicidade terminou na primeira pedra em seu caminho, nas primeiras mudanças dos ventos, na primeira vez que sentiu os pingos de chuva acariciarem sua pele bárbara.
Você tinha planos, tinha as mais belas donzelas ao seu alcance -você tinha quase tudo que queria- mas foi infeliz. Hoje folheia velhos papéis em branco tentando escrever uma carta de amor, mas as mãos não conseguem retratar o que não há no coração. As mãos não mentem. Você foi ao longe e de lá sentiu-se superior, então caiu com sua própria sombra na solidão, no abismo que todos nós criamos durante esta vida.
Meu amigo Marcos, o que há de errado com você?

Mapa Astral (segundo somostodosum.ig.com.br)

Posição dos planetas:
Sol em Câncer
Lua em Touro
Mercúrio em Câncer
Vênus em Câncer
Marte em Leão
Júpiter em Áries
Saturno em Sagitário
Urano em Sagitário
Netuno em Capricórnio
Plutão em Escorpião



Posição das casas:
Ascendente em Peixes
Casa 2 Áries
Casa 3 Touro
Casa 4 Gêmeos
Casa 5 Câncer
Casa 6 Leão
Casa 7 Virgem
Casa 8 Libra
Casa 9 Escorpião
Casa 10 Sagitário
Casa 11 Capricórnio
Casa 12 Aquário





O signo de Câncer se inicia em 22 de Junho e termina em 22 de Julho. É um signo de Água, governado pela Lua. Por isso é um signo negativo, feminino, fecundo, mudo e introspectivo.
Os nativos deste signos são extremamente tímidos, instáveis, e de difícil acesso; sendo muito sensíveis escondem seus sentimentos, e se fecham em seus casulos quando se sentem ameaçados. Lembrem-se dos pequenos caranguejos que se escondem no buraco da areia a qualquer barulhinho? E como defendem com garras o seu refúgio! É claro que escondem por dentro uma carne bem macia.
A Lua, que rege o signo, é a própria essência da figura materna, e mesmo se os nativos forem do sexo masculino, eles serão seguramente pais excelentes, isto é, extremamente maternais e ligados à família. Muitas vezes o seu karma está ligado à figura materna e à descendência feminina da família, e dificilmente se livram da mãe! São emotivos e têm uma grande sentimentalidade, possuindo um caráter receptivo e sensitivo. Sua imaginação é fértil e gostam muito de música, onde podem expressar os seus sentimentos mais secretos. Procuram sempre um certo conforto e aconchego no lar, muitas vezes com moveis antigos, muitas fotos familiares e lembranças da infância para se sentirem seguros...
Sendo extremamente fechados e tímidos, podem ser suscetíveis ao meio ambiente e por isso detestam as novidades. Se sua sensibilidade for exagerada, podem parecer até lunáticos, caprichosos, e até um pouco efeminados. Especialmente os nativos do sexo masculino devem procurar se abrir mais e desenvolverem seu lado mais masculino, para não serem joguetes nas mãos de mulheres muito autoritárias! O excesso de acomodação e bondade pode ser fraqueza de caráter!

Os seus pontos fracos no organismo são: o estômago (o sistema digestivo) e o peito. Aliás, não são somente os alimentos físicos que eles digerem dificilmente!

Câncer e o Amor:
Os cancerianos costumam ser excelentes amigos, pois dão muita importância aos sentimentos e tem instinto de tomar conta dos outros. Ao se sentirem atraídos por alguém, examinam cuidadosamente o terreno e demoram para tomar as iniciativas. São maravilhosamente sensuais, românticos e delicados, dando muita atenção ao ambiente romântico de que ele necessita para expressar seus sentimentos. Podem mudar de humor facilmente, ou se fechar como ostras para não expor os seus sentimentos, o que dificulta as vezes o relacionamento. Não esqueçam, um relacionamento duradouro é também baseado nas discussões francas.

Câncer e a Casa:
Como é a casa do canceriano? Um pequeno casulo, sem dúvida. Dependendo, é claro, de outros fatores, ele tem necessidade de se cercar de recordações. E o seu quarto deve ser o coração de sua casa, ou melhor simplesmente o seu próprio coração. É nele que o nativo se fecha para escrever suas memórias, ouvir as suas músicas prediletas, sempre cercado pelos retratos dos seus entes queridos. É também em seu quarto que ficará a poltrona preferida para a leitura e as suas lembranças da infância. Funcionando como um casulo que o protege dos perigos do mundo exterior e, principalmente, da instabilidade do futuro, o lar do canceriano invariavelmente reflete os tons de pó de arroz, tons de boa saúde, tons de manhã tenra e ensolarada. Sofisticado nos gostos, ele aprecia lençóis macios e iluminação bem planejada. Cortinas estampadas, de preferência com temas florais, madeiras claras e cama clássica, se possível com um baldaquim, para que ele se sinta mais protegido e abrigado.




Ascendente em Peixes

O Ascendente tem relação com sua aparência física e com o jeito que você se apresenta aos outros. Você que tem o Ascendente em Peixes - considerado o poeta do zodíaco - seu ar sonhador não escapará à observação alheia. As características do signo podem aparecer através de uma extrema sensibilidade e um nível emocional elevado. A dificuldade de fixar seu olhar, sempre vago e sonhador, é característica deste signo ascendente, muito móvel e volátil, mas tímido também. Muito adaptável ao meio ambiente, você absorve facilmente o clima circunstante, seja ele bom ou ruim. O efeito esponja do signo solar Peixes aparece fortemente no signo Ascendente e pode criar problemas físicos como mediunidade, depressão e mudanças de humor repentinas. O corpo é pequeno, arredondado, especialmente na parte inferior do corpo, que tem tendência a se alargar. Às vezes o andar também é característico, um pouco balançado como aquele de um patinho! Os peixinhos adoram uma companhia e quando não a conseguem podem entrar em profundos estados de depressão. Para você manter seu equilíbrio energético, são necessárias as atividades físicas, especialmente a dança e a natação que o deixarão em contato com seu elemento natural. E não esqueça um banho de ervas ou de cachoeira para descarregar toda a negatividade que você tem tendência a acumular em seu corpo astral. Sua sensibilidade e sua emotividade o tornam triste e fazem com que você chore facilmente. A expressão artística e a alta criatividade fazem de você um artista (e um ator) nato. Seu temperamento linfático (dos signos de Água) o torna versátil e adaptável, mas facilmente influenciável. Você pode sofrer de problemas de mucosa abundante (fluidos sinoviais e intestinais) e seu ponto frágil no organismo são os pés.




Lua em Touro As Suas relacões emocionais.

Esta Lua lhe confere amabilidade e confiança, determinação, perseverança e previdência. Você é atraído(a) pelas boas coisas naturais da vida e deseja para si conforto material, artigos de luxo e segurança. Tem atração pela arte de maneira geral, e pode gostar de objetos de artesanato. Você necessita de uma vida saudável, especialmente em contato com a natureza. A Lua em Touro é uma Lua exaltada, isto é, uma ‘super-lua’. Assim, a mulher com esta Lua será uma super-mãe, muito possessiva e cuidadosa com os filhos, marido, casa, etc. Você dá muito valor ao que possui e é boa administradora de seu dinheiro. Por outro lado se a Lua estiver com aspectos negativos, ela pode indicar uma excessiva atração pelos prazeres materiais, um gosto excessivo pelo dinheiro, pelas coisas de valor. Além disso, pode existir um excesso de preguiça, uma sensualidade mórbida e um apego exagerado pelas coisas materiais. Para seu equilíbrio deve ser desenvolvido o desapego pelas coisas materiais e mais maleabilidade. Para a mulher esta é uma Lua fértil prometendo uma prole numerosa.

The ballad of the sad young men - A balada para os rapazes tristes

The ballad of the sad young men - A balada para os rapazes tristes
Composição: Tommy Wolff/Fran Landsman
"Álbum Equilíbrio Distante, Renato Russo"

Sing a song of sad young man
Glasses full of rye
All the news is bad again so
Kiss your dreams goodbye

All the sad young men sitting in the bars
Knowing neon nights missing all the stars
All the sad young men drifting through the town
Drinking up the night trying not to drown
All the sad young men singing in the cold
Trying to forget that they're growing old
All the sad young men choking on their worth
Trying to be brave, running from the truth
Autumm turns the leaves gold
Slowly dies the heart
Sad young men are growing old
And that's the cruelest part
All the sad young men seek a certain smile
Someone they can hold for a little while
Tired little girl does the best she can
Trying to be gay for her sad young man
While the grimy moon watches from above
All the sad young men play of making love
Misbegotten moon shine for sad young men
Let your gentle light guide them home tonight
All the sad young men



Cante uma canção para os rapazes tristes
Copos cheios de rye
Todas as novidades são tristes novamente
Despeça-se dos seus sonhos

Todos os rapazes tristes sentando nos bares
Conhecendo noites néon, sentindo falta das estrelas
Todos os rapazes tristes vagueando pela cidade
Bebendo noite adentro, tentando não afundar
Todos os rapazes tristes cantando no frio
Tentando esquecer que eles envelheceram
Todos os rapazes tristes se engasgando na sua juventude
Tentando ser bravos, correndo da verdade
O outono faz as folhas ficarem douradas
Devagar morre o coração
Os rapazes tristes estão envelhecendo
E essa é a parte mais cruel
Todos os rapazes tristes procuram um certo sorriso
Alguém a quem eles podem abraçar por um momento
A mocinha cansada faz o melhor que pode
Tentando ser feliz para o seu rapaz triste
Enquanto a lua suja olha de cima
Todos os rapazes tristes brincam de fazer amor
A lua inventada brilha para os rapazes tristes
Deixe sua luz gentil guiá-los para casa hoje à noite
Todos os rapazes tristes



Amo esta música na voz do Renato Russo. Apesar das lágrimas se debruçarem aos olhos, vale à pena ouvir.

11 março, 2007

Circus Tiger - Serj Adam Tankian (Cool Gardens)

A circus tiger mauled and killed his trainer
I wonder what set him off; said the commentator
I don't know. how would you feel if separated from
Your family
You were shipper to different cities in a cage no less
Bound of life, with pain / pleasure techniques
And complete humility for performance under duress
A whip no less
If you were a tiger would you do it?
Would you break away
Think of escape and if desperate
Kill and avow your infinite humiliation and quavanteed
Death?
Do you do it, now, as a human?
If not, then i understand why you were not sure
What set the tiger off,mr. commentator


Um tigre de circo machucou e matou seu adestrador
"Eu imagino o que fez o tigre escapar"; disse o comentarista
Eu não sei. Como você se sentiria se fosse separado de
sua familia?
Se fosse expedido para diferentes cidades numa gaiola, nada menos.
Fadado pela vida (toda), com tecnicas de dor/prazer...
E completa humilhaçao para performances sob coerção
Uma chicotada,nada menos
Se voce fosse um tigre faria isso?
Se libertaria?
Pensaria na fuga e, se desesperado,
Mataria e admitiria sua infinita humilhaçao e
morte garantida?
Você faria isso,agora, como um ser humano?
Se não, então entendo porque você não estava certo (seguro da opinião)
sobre o que fez o tigre escapar, sr. comentarista.

Aerials - System of a down

Life is a waterfall,
we're one in the river,
and one again after the fall.
Swimming through the void
we hear the word,
We lose ourselves,
but we find it all

Cause we are the ones that wanna play,
always wanna go,
but you never wanna stay,
we are the ones that wanna choose,
always wanna play,
but you never wanna loose.

Aerials, in the sky,
when you lose small mind,
you free your life.

Life is a waterfall,
we drink from the river,
then we turn around, put up our walls.
Swimming through the void
we hear the word,
We loose ourselves,
but we find it all

Cause we are the ones that wanna play,
always wanna go,
but you never wanna stay,
we are the ones that wanna choose,
always wanna play,
but you never wanna loose.

Aerials, in the sky,
when you lose small mind,
you free your life.

Aerials, so up high,
when you free your eyes,
eternal prize.

Aerials, in the sky,
when you loose small mind,
you free your life.

Aerials, so up high,
when you free your eyes,
eternal prize.


A vida é uma cachoeira
Nós somos os únicos no rio
e únicos novamente depois da queda

Nadando através do vazio,
Nós escutamos a palavra,
Nós nos perdemos mas encontramos tudo?

Porque somos aqueles que querem jogar,
Sempre querem ir,
Mas você nunca quer ficar!

Nós somos aqueles que querem escolher,
Sempre querem jogar,
Mas você nunca quer perder!

Aéreos, no céu
Quando você perde a mente limitada,
você liberta sua vida!

A vida é uma cachoeira
Nós bebemos do rio
depois nos viramos e estabelecemos nossas barreiras

Nadando através do vazio,
Nos escutamos a palavra,
Nós nos perdemos mas encontramos tudo?

Porque somos aqueles que querem jogar,
Sempre querem ir,
Mas você nunca quer ficar!

Nós somos aqueles que querem escolher,
Sempre querem jogar,
Mas você nunca quer perder!

Aéreos,no céu
Quando você perde a mente limitada,
Você liberta sua vida!
Aéreos,tão altos
Quando você liberta seus olhos,
O prêmio é eterno!

Aéreos,no céu
Quando você perde a mente limitada,
Você liberta sua vida!

Aéreos,tão altos
Quando você liberta seus olhos,
O prêmio é eterno...

10 março, 2007

Focus away

Yesterday , by night and day while an angel beautiful she slept silent by my side , I cry I eat child with rage of me even. A mixture of silence , anger , discontentment and worry verticals of my eyes on she forms salty of tears. Anybody has said what 'I have little boy attitudes ' , what 'I don't learned the grow , the life I eat adult. Yes , yes! After whatever I underwent on the nook from this life bandit no me remainder she swims in addition to a behavior idiot , insane and souvenirs bitter somebody else's what I was , somebody else's what again I am , which is part of of me. I gon't more stop smoking! I would like dying , yes! After from the words lasts , what me awakening for a reality what my eyes no they used to be willing discern , I believe that doesn't I shall be more the same one. I can't be the same one! Necessary , once and for all , grow. I am really disappointed with me even!

07 março, 2007

Sheila


_________________

Dona do sorriso que me acalenta a alma, do olhar atencioso e sereno, iluminador;
voz de veludo, sedosa pele, guardados em minhas mais belas lembranças, momento de esplendor. Se me fosse conferido o direito de escolha, de opiniar sobre o todo e tudo, escolheria sem pestanejar que fosse infinito, eterno, indivisível, chama indissolúvel. Porque quando penso em beleza sem fim, lembro dela. Quando sinto a brisa gélida de fim de tarde lamber meu rosto, brincar com meus cabelos, é o seu abraço que eu desejo. São os seus lábios que me transportam ao paraíso tênue e sublime. Na porção mais aconchegante do meu coração é onde ela reside majestosa, absoluta! Em meus braços quero tornar a vê-la adormecer, tão linda e frágil; e com beijos, abraços, carícias, fazê-la lentamente despertar. O tempo é nosso amigo, há muito tempo para lhe beijar. Afagar os cachos do seu longo cabelo e como uma criança beijar, carinhosamente, a pontinha do seu nariz. Acariciar seu rosto perfilhado é um desejo, a realização de um sonho, idílio perfeito, momento de ser feliz.

06 março, 2007

Dolcissima Maria

Franco Mussida/flavio Franco/mauro Pagani/voz Renato Russo


Dolce Maria, dimentica i fiori
Dipinti dal tempo, sopra il tuo viso,
E gli anni andati via seduta ad aspettare una lunga, lunga via
Nessuna da incontrare...

Non voltarti più

E il giorno arriverà vestito di poesia
Ti parlerà di sogni che non ricordavi più,
E ti benedirà Dolcissima Maria.

Dolce Maria, dagli occhi puliti
Dagli occhi bagnati è tempo di andare:
E presto sentirai profumo di mattino
E il tordo canterà volandoti vicino...

Non voltarti più.

E qualcuno se vorrai vestito di poesia
Ti coprirà d'amore senza chiederti di più
E t'accarezzerà Dolcissima Maria


Doce Maria esqueça as flores
pintadas ao tempo sobre o teu rosto.
E os anos foram embora sentada a esperar uma longa, longa vida
nenhuma a encontrar...

Não voltará mais

E o dia chegará vestido de poesia
te falará dos sonhos que não lembravas mais.
E te abençoará Docíssima Maria.

Doce Maria dos olhos limpos
dos olhos molhados, é tempo de ir:
E rápido sentirás o perfume da manhã
e o tordo cantará voando perto...

Não voltará mais.

E se alguém quererás vestido de poesia
te cobrirá de amor sem te pedir de mais
e te acariciará Docíssima Maria.

She says:

"Se eu não escrevesse para uma pessoa tão intrigante como você, morreria de arrependimento."

Um jovem de 100 anos.




De qual fonte verte tamanha amargura e descontentamento com o que me rodeia? Tenho 19 anos mas, acreditem, aparento ter 100!!! Não pela pele enrugada, caminhar trôpego ou pelos cabelos brancos, pelo contrário: quem olha para meu rosto acredita que sou até mais novo do que as quase duas décadas de existência.

O problema é quando abro a boca, quando estou em meio a outras pessoas.

Aparento ter 100 anos.

Ich hassen mich...

05 março, 2007

Soneto de Fidelidade

De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinicius de Moraes, "Antologia Poética", Editora do Autor, Rio de Janeiro, 1960, pág. 96.

02 março, 2007

A hora do trem passar (Paulo Coelho/Raul Seixas)

Você tão calada e eu com medo de falar,
já não sei se é hora de partir ou de chegar.
Onde eu passo agora não consigo te encontrar,
ou você já esteve aqui ou nunca vai estar

Tudo já passou, o trem passou, o barco vai.
Isso é tão estranho que eu nem sei como explicar.

Diga, meu amor, pois eu preciso escolher:
Apagar as luzes, ficar perto de você
ou aproveitar a solidão do amanhecer
prá ver tudo aquilo que eu tenho que saber.